Capa » Destaque » Ministro do Trabalho se reuniu com lideranças da Nova Central
Ministro do Trabalho se reuniu com lideranças da Nova Central

Ministro do Trabalho se reuniu com lideranças da Nova Central

O Ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira (PTB/RS), visitou nesta terça-feira (24/5), em Brasília, a sede da Nova Central Sindical de Trabalhadores (NCST). Após questionamentos dos líderes sindicais disse que: “Os trabalhadores não serão surpreendidos e nem traídos em seus direitos, por este ministro”. Destacou que sua prioridade é enfrentar o desemprego, a informalidade e propor medidas de qualificação profissional.

Garantiu também que os direitos essenciais dos trabalhadores serão mantidos. “Direito não se retira, se aprimora. Não vamos fazer nenhuma mudança sem ouvir o trabalhador. Ele não será surpreendido”, ressaltou. Afirmou que aprimorar o diálogo com as centrais sindicais contribui para pacificar o Brasil e reduzir o desemprego, “hoje, um dos grandes problemas do país”.

“A Nova Central entende que o ministério não pode de forma alguma continuar sendo o primo pobre do Governo. É preciso investir na pasta, para que a enxurrada de processos pelo reconhecimento de novas entidades sindicais e a busca da carta sindical, sejam definitivamente solucionados”, falou o presidente Nacional da Nova Central, José Calixto Ramos, que também sugeriu ajuda, se necessário, de funcionários (as) das Confederações e Federações, em um “mutirão” para desafogar o ministério.

A diretora Nacional de Assuntos de Cooperativismo e Economia Solidária da Nova Central, Ledja Austrilino Silva de forma pragmática, alertou que o discurso do “aumento do desemprego no país” não pode servir de argumentos para flexibilizar direitos sociais e trabalhistas ou apoiar Projetos de Leis que tramitam no Congresso Nacional com objetivos “nebulosos” que possam provocar retrocessos na relação entre capital e trabalho.

O diretor Nacional de Comunicação da Nova Central, Nailton Francisco de Souza (Nailton Porreta), apresentou as demandas dos trabalhadores em transportes rodoviários, com ênfase no cancelamento da Portaria 1.297 de 13 de agosto de 2014, que de forma “irracional” aumentou os níveis de tolerância da exposição do trabalhador em situação de “Vibração de Corpo Inteiro (VCI)” e apoio para aprovar o “Estatuto do Motorista” que pode acabar com as “complacências” da Lei 13.103/2015.

Vera Lêda Ferreira de Morais, presidente da Nova Central do Distrito Federal enfatizou a importância da visita do ministro e reivindicou a implantação de políticas públicas de crescimento e desenvolvimento, ou seja, ações que possam de fato gerar mais e melhores empregos e, principalmente, que combata a discriminação das mulheres no mercado de trabalho.

“Em uma nação civilizada é inadmissível a informalidade da mão de obra, que só causa indignação e precarização. A qualificação e requalificação profissional precisa ter prioridade; retornar os convênios entre o ministério do Trabalho e as instituições do (2º e 3º grau de representação laboral) e abrir as informações da Relação Anual de Informações Sociais (RAIS) e do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED), são medidas importantes que trazem benefícios para os trabalhadores (as)”, relatou Vera.

No encerramento, o Ministro Nogueira agradeceu o convite e forma respeitosa que se deu o diálogo. Que orientou seus assessores e auxiliares no ministério, de que conversará com todos os presidentes de centrais, sindicatos, confederações e federações. “Os representantes dos trabalhadores (as) têm porta aberta no Ministério, que vai atuar com justiça e promover políticas de proteção do trabalhador e geração de empregos.”, afirmou.

(NCST, 25.05.2016)